Em mais de 20 anos, o cPanel se tornou uma das principais ferramentas de controle de contas e recursos no segmento de hospedagem de sites. Empresas de todos os portes, das menores às maiores, usam o cPanel em sua infraestrutura, como é o caso do Mega Provedor, que sempre o usou na plataforma Linux (desde 2006). Mas este cenário está sob risco, em função de mudanças radicais no licenciamento, anunciadas em 27 de junho de 2019.

Entenda

Fazem mais de 20 anos que o cPanel foi lançado, um painel de controle simples, funcional, confiável e acessível do ponto de vista de custo. Por estas características, empresas ao redor de todo o mundo o adotaram como solução para o gerenciamento de contas e recursos dos seus servidores de hospedagem.

Aliado ao bom funcionamento e ao amplo leque de opções para o controle adequado de tudo que uma conta de hospedagem precisasse, estava a política de cobrança de licenças, que entre outras vantagens, permitia que se instalasse o cPanel em um servidor e pagasse um valor fixo, com periodicidade mensal ou anual, independente da quantidade de contas hospedadas no servidor.

Com o anúncio feito no dia 27 de junho de 2019, esse modelo deve mudar completamente. O cPanel, enviou um comunicado para os clientes e parceiros, informando que  a partir de 1 de Setembro de 2019 uma nova política de preço entrará em vigor.

O principal ponto da mudança é que os valores serão variáveis e levam em consideração o número de contas existentes em um servidor que rode o cPanel.

A comunidade de empresas de hospedagem está agitada e confusa. São milhares de empresas ao redor do mundo que serão afetadas diretamente e naturalmente os seus clientes também. Já nas primeiras horas após o anuncio nomes de peso do segmento entraram em alvoroço, tentando entender a extensão do impacto que as mudanças trarão ao seu modelo de negócios, bem como isso vai afetar o mercado.

Há muitos ameaçando romper seus laços de anos com a cPanel, o que não é simples em termos de operação, mas que em muitos casos pode ser uma exigência para manter os negócios lucrativos, já que quanto maior for a base de clientes, maior será o impacto.

O que muda?

Se as novas regras de licenciamento se confirmarem – o que parece ser o caso – a grande maioria dos usuários serão afetados.

Até então, um servidor que utilizasse o cPanel como painel de controle, poderia ter um custo mensal com licenciamento, que variava entre algo como U$15 (Servidor Virtual, VPS) e U$45 (Servidor Dedicado, Físico), independente do número de contas de hospedagem nele criadas.

A partir do momento em que o novo licenciamento entrar em vigor, o custo irá variar de um mínimo de U$45 mensais (Servidor Virtual com menos até 100 contas criadas), para um valor ilimitado a depender do número de sites hospedados, uma vez que a cPanel cobrará U$0.20 por conta adicional.

As contas não são fáceis, uma vez que os valores são variáveis para diferentes tipos de licenciamento (Dedicado e VPS), como também mudam de acordo com a quantidade de contas hospedadas.

Mas para se ter uma noção de ordem de grandeza, pode-se estimar um aumento médio de R$ 1,00 por cada conta hospedada. Desta forma, uma empresa de hospedagem com 10.000 clientes, terá imediatamente, de um mês para o outro, um acréscimo médio da ordem de R$ 10.000,00 apenas com licenciamento do cPanel.

É necessário enfatizar que os números acima representam uma projeção por aproximação e na prática os valores podem ser um pouco menores, como bem maiores, mas refletem o quão significativa pode ser a mudança anunciada.

O crescimento deste custo médio é proporcional ao tamanho da carteira de clientes e facilmente imagina-se qual o impacto em empresas de todos os portes, sendo impraticável para a maioria delas absorver tais custos sem que exista nenhum tipo de repasse à ponta da cadeia, ou seja, o consumidor final que tem seu site hospedado em uma empresa de hosting.

Também deve-se dizer que alguns modelos de hospedagem são mais afetados do que outros, como é o caso dos planos de revenda de hospedagem que não têm limites na criação de contas. No conceito vigente até agora, o menor plano de revenda da Mega conta com 120 GB de armazenamento, e não pagava por licenciamento, podendo criar um número ilimitado de contas, sendo o limitador do plano apenas o espaço.

A partir desta nova política de preços, um revendedor que use este plano e que tenha 100 contas de clientes criadas, representará ao hosting em que tem a sua revenda hospedada, um custo de mais R$ 100,00 só de licença cPanel, o que é mais do que ele paga integralmente pelo serviço (hoje: 01/07/2019 o nosso plano de 120GB custa R$ 89,00). Ou seja, a licença poderá ser mais cara do que todo o restante da infraestrutura que o revendedor tem direito de utilizar (servidor, rede, construtores de sites, sistemas de anti-spam, antivírus, suporte, IPs, SSL, etc).

Os clientes de VPSs e servidores dedicados também podem ser duramente afetados, particularmente aqueles que têm mais do que meia dúzia de contas. Hoje, estes dois grupos pagam um valor fixo (U$ 15 VPS e U$ 45 dedicado). Com a mudança, calcula-se que o valor total de licenciamento poderá atingir os três dígitos, sempre tendo-se em mente o número de contas criadas. Uma VPS que tenha até 5 contas criadas dentro do WHM, passará a pagar U$ 20.

Outra consequência direta, é que o valor é variável, pois o número de contas pode mudar de um mês para o outro. Com isso, manter contas de clientes inativos, passou a ser ainda mais custoso e até pode ter que se pagar por uma simples conta de testes. Provedores ficarão comprometidos em revender a licença do cPanel de modo que o cliente final precisará contratar diretamente com o cPanel licenças para seus dedicados ou servidores virtuais (VPS).

Ainda é tudo muito prematuro e até que alguns pontos sejam devidamente esclarecidos e o cPanel não revise sua postura, o que parece pouco factível no momento, não se pode e nem deve-se criar um clima de alarmismo. No entanto, todo o setor de hosting afetado pelo anúncio, vem se mobilizando em torno de flexibilizações, alternativas e modelos de transição que não signifiquem penalizar os consumidores.

Assim que tivermos informações mais precisas, bem como vislumbramos com mais clareza o cenário de curto prazo que as mudanças devem trazer, atualizaremos a questão com mais detalhes.

Entendemos que a princípio nossos revendedores são os mais afetados, e por isso estamos estudando outras alternativas de painel de controle para em caso de confirmação das mudanças do cPanel, tenhamos alternativas que não incorram no aumento de preço.